Clube dos desgostos

quatro mulheres falam de amor e outros contratempos

A ti classifiquei... amor...

Podem-me dizer que não sei o que é o amor. Não. Não sei o que é o amor.

Mas acredito nele. E quem mais poderá garantir aquilo que sinto? Se sinto, acredito no que sinto. É a única maneira desse sentimento existir. Em mim.

Nunca senti nada mais forte do que aquilo que sinto por ti. Se acredito que um dia poderei vir a sentir algo parecido ou maior por outro alguém? Sim, porque não? O ser humano, criatura complicada e imperfeita.

Digo-te, dou classificação às coisas: atracção, paixão, ilusão,... mediante o que sinto, mediante aquilo que acredito que sinto. Errado? Certo? Quem o poderá dizer com mais certeza que eu? 

Posso não saber interpretar... Mas o que sinto, só eu sei.

(Está dentro de mim, invísivel, possível de ser demonstrado.)

A ti classifiquei... Amor.

Eu esperava tanto de ti, mesmo quando pensaste que desisti. Mas é justo! Não posso esperar tudo de ti e dar nada de mim. Não posso abandonar o jogo a meio e esperar que o recuperes sozinho.

Esta pode ser a decisão mais errada da minha vida.

As coisas não vão mudar. Tu não vais mudar. Eu sou a mesma.  

Mas o que temos de bom ainda existe. 

E quantos não o queriam ter?

7 comentários:

Sem rumo disse...

De facto tens razão, somos imperfeitos e estamos sempre a catalogar tudo, a complicar aquilo que deveria ser simples, e quanto mais simples melhor.
É assim que eu tenho a minha definição de amor, uma coisa simples mas muito especial.

beijo

22 de outubro de 2009 às 13:32  

Eu acho que também queria... Lol Provavelmente... Bem... Minto no que falo, no que penso, no que mostro. Naquilo que sinto, eu não minto. (isto é muito poético! LOL) Olha, gosto deste novo grafismo do blog, embora o outro também fosse porreiro... Bjos **

22 de outubro de 2009 às 16:56  

Que deleite este texto!

Acredito que a relação não possui apenas um errado.

E aprendi, também, que muitas vezes o amor está implícito.
Por isso concordo com o que disseste.

Adorei.
Vou ficar por aqui pra não perder as próximas postagens.
Beijos.

24 de outubro de 2009 às 15:12  
Natália disse...

E quem sabe o que é o amor de verdade? Beijos

24 de outubro de 2009 às 19:54  
Neptuno disse...

quero mostrar a todos o que e amor verdadeiro por isso passem no meu mundo...beijinhos para todas e abraços a todos os que me visitem ate ja...

26 de outubro de 2009 às 11:18  
Onurb disse...

Ás vezes ficamos presos ao passado, ao que podia ter sido e nao foi, ao que podiamos ter feito e nao fizemos...sei bem o que isso é...mas uma coisa aprendi: o caminho é em frente...o que tiver de ser, será..e nada acontece por acaso, mas nós também temos influência sobre o que nos acontece..ou sobre o que nos podia ter acontecido...
Confuso nao?! LOOL!

Bjokaaaa migaaaa

28 de outubro de 2009 às 05:59  
Emma disse...

às vezes classificamos as coisas à nossa medida, no entanto ninguém nos pode dizer que estamos erradas! é aquilo que tu sentes e não há ninguém que o passa saber melhor que tu própria. se é amor que seja!

28 de outubro de 2009 às 11:52