Clube dos desgostos

quatro mulheres falam de amor e outros contratempos

Excepcionalmente...

És o mais próximo de “sentir falta de alguém” que me tem surgido ultimamente.
És excepcionalmente bonito. Dizes-me que sou bonita também. E interessante. E diferente... 

(diferente...?)

Longe de mim desvalorizar-me… Mas como poderias tu saber tudo aquilo que sou e posso ser, se não to consigo mostrar? Se paraliso frente a ti…!
E face a isso, que tenho eu de diferente das demais? Sinto-me impotente para acreditar que estás a reparar em mim. Tu mereces uma multidão…

(de opções!)


E arrogante de mim pensar que me possas estar a enrolar para outros fins… Que necessidade terias tu? Alguém como tu… Alguém excepcionalmente bonito…

(repito…repito…)


Sinto-me tonta por parecer tão precipitada. Então simulo um todo diferente “eu” perante ti. Alguém racional e pouco complicada…

(E porque é que pareço tão fútil?)


E de repente, o pano cai.
Excepcionalmente fantástico ou não, tu és tu. E eu sou eu. Nunca te direi tudo. Mas não vou deixar de ser EU. EU. EU.
Excepcionalmente… Eu.

Vicky

P.S. Não gosto do texto. Não consigo escrever. Não consigo exprimir-me. 




10 comentários:

Cih disse...

Mesmo que não goste,achei mto bom!
Vc escreve mto bem sim!
beijos

12 de junho de 2009 às 16:10  
pedro disse...

acho que te exprimiste bem =)

12 de junho de 2009 às 16:24  
Moon disse...

Mas seu texto ficou muito bom!
É imprescindível não deixar de ser você. E isso não quer dizer, realmente, que é preciso se mostrar por inteiro. Mesmo porque considero isso impossível.
Também gostei daqui :))

Beijos

12 de junho de 2009 às 17:42  
neo disse...

Vicky.
Posso imaginar-te bonita, bela, romântica apaixonada, a voz suave e quente que determina com suavidade as regras da sedução.
E de repente a dúvida de ser levada apenas por que se é bonita, porque se é cobiçada como peça de colecção, ou como troféu ganho na aventura e fácilmente descartada ao virar do dia...
Toda a beleza é susceptível de ser assediada pelos motivos mais futeis. Não dizer tudo nem sempre é bastante, porque se dissermos o mais importante, o que devia ser só nosso, a nossa magia interior, algo que se nos escapou num momento de euforia, pode ser o suficiente para que nos percamos nos labirintos de mentes torpes.
Gostei da tua inspiração e gostava que me dissesses, dissessem se aceitam o desafio, em público ou em privado, podiamos até organizar um chá :)) um piquenique com por de sol à vista:)) para discutirmos se há um factor comum às três, a importância dos cheiros e dos perfumes, a definição do ideal para a relação, a disponibilidade para se partilhar sem se despersonalizar, nem ao outro.
Amiga, amigas, é um prazer delicioso estar aqui...
Beijinho amigo

13 de junho de 2009 às 02:31  
Emma disse...

E o teu texto é excepcionalmente bonito porque és tu! Bonita também. Nunca deixes de seres tu. Tu mesma na tua essência de mulher incomparável a qualquer outra.

***

13 de junho de 2009 às 04:58  
Lois disse...

Mais que ele notar qualquer diferença em ti,é sentires-te especial e mais autêntica que outra que esteja á volta dele.
Dá-te uma oportunidade de sentir..Excepcionalmente..

13 de junho de 2009 às 06:24  

foi de coração e isso é o que importa!

13 de junho de 2009 às 11:32  
Incapaz disse...

Acho que te exprimiste muito bem.
Nunca deixes de seres quem és por outra pessoa.

13 de junho de 2009 às 13:06  
Ocram disse...

Aiii trenga...dizes tu k ñ gostas do texto... Nc li algo tão natural, tão..... "straight to heart"...XD tá demais.

E concordo em absoluto, nc deixes de ser TU, por ninguém, por mais excepcional k seja ou te pareça...porque hj pode ser e amanhã já pode alterar-se...hj vês com um olhar, amanhã podes ver c outro, e o k tens de garantido sempre e incondicionalemente é o teu "EU".
Vai plo teu coração,no entanto, nc deixes k ele te domine por completo. (u understand me!)
Beijoooooooooo

13 de junho de 2009 às 15:04  
Natália disse...

Procura uma inspiração que tudo vai fluir. beijinhos e obg. por tudo! :D

14 de junho de 2009 às 13:20