Clube dos desgostos

quatro mulheres falam de amor e outros contratempos

Tempos

O tempo pode ser definido como 'a sucessão dos anos, dias, horas, etc., que envolve a noção de presente, passado e futuro; Momento ou ocasião apropriada para que uma coisa se realize; Época, estação'.

A sucessão de 15 dias foi suficiente, depois de terminar uma relação, para se interessar e começar uma nova relação. Diz-se apaixonado por alguém que mal conhece. Ela, provavelmente, estava carente e deixou-se cair nas investidas de sedução que ele lhe fez e continua a fazer...E neste tempo, mantenho-me a assistir a tudo, ainda que ao longe. Pensarão que sou louca ou talvez masoquista. E dói, é verdade. Mas...O sentimento que tinha por ele ainda não deixou de existir. Em 15 dias ainda procuro uma razão válida para ele me ter deixado. Segundo ele, a razão é que deixou de sentir por mim aquilo que sentiu no ínicio do nosso namoro. Não sei que tempo preciso mais para ultrapassar isto.

A noção do meu passado influência o meu presente e não sei como será o meu futuro.
Já tive vontade de desistir de tudo mas tenho amigos que me apoiam e tentam fazer com que eu sorria perante estes tempos difíceis...Trazem-me o desafio da vida.

Talvez a ocasião para a minha vida mudar esteja aí. Realizar sonhos que aindam estejam escondidos na minha mente a ponto de serem encontrados.

O fim do Verão, o Outono, o Inverno, a Primavera e o início deste Verão na companhia de quem fez da minha vida uma mentira, não se comparam aos Verões, Outonos, Invernos ou Primaveras na companhia daqueles que fazem a minha vida real e simplesmente fantástica.
Talvez o meu tempo para sorrir esteja próximo.




Emma

7 comentários:

Vicky disse...

Eu imagino como te sintas. Como se tivesse sido tudo uma "farsa", um "sonho irreal",não é... Mas por mais que custe acreditar, é bem possível que esse indivíduo tenha falado com o coração (irracional,decerto). Infelizmente, existem pessoas muito incertas, que não sabem o que querem, indecisas... Que se iludem a si próprias e aos outros. Não sou de julgar (estando por fora), mas quer-me a crer que ele iludiu, iludiu-se e iludiu-te e está faze-lo de novo com esta nova persona. Lamento que te estejas a sentir assim,pois és obviamente alguém que dá valor aos sentimentos e à construção destes, contrariamente a alguém que me parece, agir segundo instintos.

Beijinhos e força**

10 de junho de 2009 às 10:50  
pedro disse...

as ilusões por vezes sao boas, o pior e quando se acorda para a realidade, a terrinha e no meio de Coimbra e Aveiro uma cidade chamada Anadia na Bairrada terra do leitão e do vinho

10 de junho de 2009 às 10:58  
Ocram disse...

Há coisas de que ainda hoje duvido que vivi...acho que é um sentimento natural... por vezes tenho a sensação que não fui eu quem viveu certos momentos. Aliás, no fim do meu namoro pensaei mto numa música dos 30 seconds to mars "Was it a dream?"...espelhava bem a forma como me sentia...e com o tempo tudo ficará melhor. Espero que essa dor passe rápido e o teu tempo de sorrir esteja próximo,cmo tu dizes! E é exactamente a isso que tens k te agarrar ;) Força! Coragem!
Beijossss**
(Ocram)

10 de junho de 2009 às 12:18  
Dri Viaro disse...

Oi, passei pra conhecer seu blog, e desejar otimo feriado
bjs


aguardo sua visita :D

10 de junho de 2009 às 15:51  
neo disse...

Ainda há dias me disseste que continuavas apaixonada e feliz pela relação. Já então algo me dizia que podia ser a estranha e maldita da ilusão, o teu querer afirmar que tudo estava certo e no seu lugar.
Minha amorosa e querida amiga, que por de sol mais violento, mas ele nasce de novo, e renasce a cada dia e sinto que sentes essa evidência.
Mais uma vez, os indicios que me dás, tratou-se de mais um amar do teu corpo esquecendo a alma que é o principal amor que cada ser transporta. Saciada a libido, se não há um sentimento forte de se partilhar a alma, o que fica é a sensação de fim da aventura e ele parte, insensivel a conhecer melhor o fogo que em ti arde, acolher-se no calor que de ti se expande e por vezes queima mas não mata.
Fico furioso comigo por não ter estado mais presente, mas rejubilo por ler as tuas palavras sensatas de mulher crescida.
Sabes que estou contigo porque somos lianas caídas de uma mesma árvore e que te sorrio ante o aparato da noticia, para que me sorrias e me olhes docemente acreditando que tudo em ti é possivel. O amor é possivel, os olhos em volta e de dentro de ti.
Beijos
joão

11 de junho de 2009 às 06:37  
Verdinha disse...

eu espero que passe mais rapido por ai do que por aqui.. porque por aqui ja vai em quase 6 anos :X

(mas eu nao sou exemplo p ngm, por isso nao te assustes. loool)

11 de junho de 2009 às 09:04  
Incapaz disse...

Como te compreendo.
Não sei se alguma vez irá passar. Provavelmente não querias ler isto, mas por vezes é uma realidade.
Nada de precipitações.

13 de junho de 2009 às 13:08